Sábado, 7 de Abril de 2007
Sozinha no meio da multidão...

   Ás vezes dou por mim a costruir muros que formam barreiras ao contacto com as pessoas, talvez por seu DEMASIADO altruista, digo literalmente altruista, o que no meu caso não é necessariamente algo positivo. É claro que todos precisamos de um bocadinho, mesmo que imperceptível, de altruismo, mas se isto se torna em algo excessivo e obcessivo pode ser um ponto negativo contra qualquer ser humano. Vejamos o meu caso, não estou a dizer que sou muito altruísta só para "ficar bem na fotografia", digo-o porque é uma verdade que todos à minha volta percebem e usam contra mim de várias maneiras.

   Alguém que se preocupa tanto com os outros e que põe os outros em primeiro lugar e a si próprio em segundo plano de tal forma que deixa de viver os seus problemas para dividir os dos restantes acaba por chegar ao fim do dia com metade dos problemas do "outro" e o dobro dos seus problemas nos ombros. Pergunto eu, sem obter qualquer tipo de resposta, como é que alguém é capaz de carregar tanto peso? Não sei, mas o facto é que consigo e parece que só eu é que começo a perceber que não posso carregar mais nada. Sinto-me como uma balde colocado estratégicamente em baixo de um cano furado que vai enchendo de água lentamente...gota a gota, e quando por fim enche vai deitando fora uma gota de cada vez com a chegada de uma nova gota de água ao recipiente. O problema é que o peso nunca diminui porque embora as velhas gotas começem a a dissipar-se aparecem sempre novas gotas. O problema persiste até que alguém venha e deite toda a água pelo cano abaixo. Mas isso parece nunca acontecer.

   As únicas coisas que me conseguem tirar algum peso são a música e as palavras, pois parece que as pessoas que me rodeiam e sabem sempre onde estou quando aparece um problema se esquecem que eu também tenho algumas coisas que me atormentam, ou fingem esquecer-se disso, ou então não têm o mínimo sentido de altruísmo, por isso este blog vai ser usado por mim para escrever algumas das viagens que faço sozinha no meu quarto com o rádio ligado e a cabeça no travesseiro...lol...ou por outras palavras as coisas, por vezes loucas que me passam pela cabeça durante as minhas "Viagens ao mundo da lua".

 

   Sinceramente não espero que alguém se dê ao trabalho de ler estes textos enormes mas pelo menos fico com a sensação de que alguém o fez, se por acaso alguém o fizer mesmo, só tenho que agradecer o facto de ter sido das poucas pessoas que deu alguma "importância" às minhas "loucuras".

 

   Bom, acabando o discurso, espero que gostem do blog, que apareçam e comentem também.

   Obrigado pela paciência dispensada neste artigo...loooool

 

   Beijos***********

  

 


sinto-me: Sozinha...talvez
música: Dear Mr President - Pink

publicado por Johanne às 21:07
link do post | comentar | favorito
|

4 comentários:
De Pseudónimo a 7 de Abril de 2007 às 22:24
Parabéns eu concordo, muitas das vezes em que estamos desatentos ou em que estamos a pensar em certas coisas que nos afectam o coração nós deixamos de ser os mesmos e eu não acho que estes teus textos sejam simplesmente as tuas loucuras mas sim os teus sentimentos que expuseste a quem quisesse prestar atenção para alguém saber se alguma vez pensou como seria ser como tu....
O que eu fiz foi simplesmente prestar atenção a cada um dos pormenores das tuas palavras e eu achei que eram especiais e eram sentidas por ti mesma e por isso não penses que tudo no mundo são escadas rolantes que sobem e descem e nunca estão no mesmo lugar, não penses que tudo será ao contrário daquilo que pensas ser uma vida ou algo parecido com isso..... vá bjx e diz qualquer coisa neste blog:
[Error: Irreparable invalid markup ('<br [...] <a>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

Parabéns eu concordo, muitas das vezes em que estamos desatentos ou em que estamos a pensar em certas coisas que nos afectam o coração nós deixamos de ser os mesmos e eu não acho que estes teus textos sejam simplesmente as tuas loucuras mas sim os teus sentimentos que expuseste a quem quisesse prestar atenção para alguém saber se alguma vez pensou como seria ser como tu.... <BR>O que eu fiz foi simplesmente prestar atenção a cada um dos pormenores das tuas palavras e eu achei que eram especiais e eram sentidas por ti mesma e por isso não penses que tudo no mundo são escadas rolantes que sobem e descem e nunca estão no mesmo lugar, não penses que tudo será ao contrário daquilo que pensas ser uma vida ou algo parecido com isso..... vá bjx e diz qualquer coisa neste blog: <BR class=incorrect name="incorrect" <a>comtodasasletras.blogs.sapo.pt</A> <BR>P.S.: Eu gostei do teu comment no meu blog e foi especial porque foi a um dos meus poemas favoritos vá bjx e não te esqueças de dizer alguma coisa.....


De jpcfilho a 7 de Abril de 2007 às 23:05
Olá Johanne, pois bem li se texto todo, e gostei do exemplo do balde e das gotas, e tb assimilei e entendi sua situação. Mas é assim mesmo, que se doa nunca recebe nada de volta, portanto vá se candidatando a Madre Tereza.. Grande abraço.
Espelhodesombras


De Anónimo a 26 de Setembro de 2008 às 17:20
Bom texto

Beijinhos


De liliana silva a 20 de Novembro de 2011 às 15:01
Sinto-me exactamente assim neste momento. Domingo e sinto-me abandonada por todo, cada vez me sinto mais sozinha dedico a minha vida a ajudar os meus amigos e na primeira oportunidade sou posta de parte... pelo menos já sei que não sou a única a sentir-me assim...


Comentar post

.mais sobre mim
.Outubro 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


.posts recentes

. Voltei!

. Amo-te Portugal!!!...mas ...

. The moment you believe - ...

. Sozinha no meio da multid...

.arquivos

. Outubro 2007

. Abril 2007

.favoritos

. Aprender a crescer

.pesquisar
 
blogs SAPO
.subscrever feeds